A necessidade do encoder incremental na Indústria 4.0

24 de março de 2022 por na categoria blog com 0 e 0
Home > blog > A necessidade do encoder incremental na Indústria 4.0

Existe uma série de peças e aparelhos que se tornaram essenciais para as empresas onde se quer investir na indústria 4.0. Ou seja, naquelas onde a implementação das novas tecnologias a respeito da automação dos processos industriais é uma prioridade.

Nesse cenário, é importante entender a necessidade do encoder incremental na indústria 4.0. E se você deseja saber tudo a respeito desse tema, continue com a leitura do artigo. Nos tópicos a seguir, descubra as principais informações sobre esse tipo de sensor de extrema relevância.

  • O que é e como funciona o encoder incremental
  • Qual sua importância e uso na Indústria 4.0

 

O que é e como funciona o encoder incremental

O encoder incremental é um sensor amplamente utilizado em empresas onde se aplica os preceitos da automação industrial. Embora existam outros tipos de sensores, esse certamente é um dos mais importantes.

O diferencial desse instrumento em relação a outros parecidos está no fato dele conseguir oferecer um feedback a respeito do motor de rotação. Da mesma forma, tem o poder de fornecer dados sobre a posição de um determinado aparelho.

Um exemplo é informar que uma determinada peça gira ou desloca-se de modo linear. Em outras palavras, é possível dizer que o encoder incremental transforma em sinal digital uma posição física no espaço.

Para realizar a sua função, esse tipo de sensor trabalha através de um disco com marcações, bem como com um emissor e um receptor. Assim, de acordo com o giro do disco, as suas marcações são calculadas. Além disso, o sinal emitido é proporcional ao número de giros que executou.

Veja as especificações de um exemplo de encoder incremental, série H40:

  • Alimentação de 5Vcc até 24Vcc, consumo sem carga menor que 1W;
  • Frequência de saída de até 150KHz
  • Todas as saídas disponíveis: A, A/, B, B/, Z, Z/;
  • Corrente de saída por canal de até 20mA;
  • Tempo de borda de subida e descida menor que 0,1μ seg;
  • Tensão de saída acompanha a de alimentação;
  • Rotação máxima de 6.000rpm;
  • Amortecedor de vibrações incluso;
  • Temperatura de operação desde -5ºC até +40ºC;
  • Grau de proteção IP50;
  • Peso 150g;
  • 100, 500 e 1.000 pulsos por rotação.

 

Qual sua importância e uso na Indústria 4.0

Existem diferentes tipos de encoder. E a maneira de saber qual deles é o mais apropriado para a sua indústria é optando por aquele que atende melhor a precisão e a frequência necessárias. O incremental é um dos seus tipos e ele se caracteriza por emitir impulsos por revolução.

Além disso, esse impulso se refere à medida da distância. Desse modo, ele gera um pulso para cada unidade de deslocamento. Isto é, mostra a posição relativa ao ponto em que foi ativado. Por conta da maneira como funciona, é o encoder mais simples, o que torna o seu preço mais baixo.

Há também outro modelo, o absoluto. Esse esconder apresenta um valor codificado para a posição. Em outras palavras, ele cria um código binário para cada unidade que se desloca. Portanto, ele informa a posição absoluta, o que faz com que o seu preço seja mais alto.

Dito isso, para a indústria o principal uso do encoder incremental é ler a RPM, ou seja, a medida em rotações por minuto. Isso significa que ele consegue verificar a velocidade de um motor. Outra aplicação é como medidor de tensão nos motores que fazem a esteira trabalhar.

Ao considerar esses aspectos, é possível dizer que as empresas que desejam investir na automação das suas fábricas devem estar atentas na escolha do melhor encoder incremental disponível no mercado.

 

Saiba mais sobre a Indústria 4.0.

 

Quem está em busca de encoder incremental pode conversar com a Veder, que oferece esse e outros equipamentos para automação industrial. Entre em contato pelos seguintes canais:

(11) 2341-3132

(11) 98689-8643

vendas@veder.com.br

tecnico@veder.com.br

veder.com.br

Adicionar comentário